SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número53ESTATUTO DEL EMBRIÓN HUMANOLOS MENORES Y ADOLESCENTES EN LA INVESTIGACIÓN CLINICA. TENSIONES Y ASPECTOS ÉTICOS índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Escritos

versión impresa ISSN 0120-1263

Resumen

GAMBOA BERNAL, Gilberto Alfonso. AS TÉCNICAS DE REPRODUÇÃO ASSISTIDA (TRA) À LUZ DA BIOÉTICA. Escritos - Fac. Filos. Let. Univ. Pontif. Bolivar. [online]. 2016, vol.24, n.53, pp.319-344. ISSN 0120-1263.  http://dx.doi.org/10.18566/escr.v24n53.a05.

As técnicas de reprodução assistida (TRA), como uma solução para as problemáticas da esterilidade e infertilidade humanas, foram se desenvolvendo a partir de meados do século XX. O questionamento desta técnica, seu progresso e os resultados alcançados foram coetâneos com dois fatos antagônicos em relação a ela: a criação de novos direitos que contribuíram para referendá-la e o surgimento da bioética, que permitiu assinalar suas limitações. A mudança cultural que propiciou este surgimento das TRA está marcada, entre outros, por três temas que são aqui revistos: o conceito de mulher e o controle de seu corpo, o parentesco ou filiação e a noção de autonomia, todos eles englobados na chamada ideologia de gênero. É feita uma reflexão sobre estes tópicos e são oferecidas algumas alternativas para as TRA, que incluem o aprender a reorientar seu trabalho com critérios assinalados pela reflexão bioética, que mostram o profundo significado de preservar a dignidade de cada pessoa, a partir de sua concepção, em um contexto verdadeiramente humano.

Palabras clave : TRA; Biotecnologia; Direitos humanos; Dignidade; Reprodução; Procriação.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )

 

Creative Commons License Todo el contenido de esta revista, excepto dónde está identificado, está bajo una Licencia Creative Commons