SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 número57El tiempo según Paul Ricoeur índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Escritos

versión impresa ISSN 0120-1263

Resumen

MORATALLA, Tomás Domingo. É Paul Ricoeur um fenomenólogo? Entre fenomenologia e hermenêutica. Escritos - Fac. Filos. Let. Univ. Pontif. Bolivar. [online]. 2018, vol.26, n.57, pp.251-282. ISSN 0120-1263.  http://dx.doi.org/10.18566/escr.v26n57.a02.

Este artigo pretende mostrar em que sentido a filosofia de Ricoeur pode ser considerada de princípio a fim, uma fenomenologia. A tese que defendo é que a fenomenologia não é uma etapa de seu pensamento superada por encontros filosóficos posteriores. Não me parece por completo adequada a imagem com que temos traçado seu itinerário filosófico, que ele mesmo assumiu, dizendo que parte "da" fenomenologia e encaminha-se "para" a hermenêutica. Diante dessa imagem, defendo com força a imagem do "entre" como posição filosófica; "entre" fenomenologia e hermenêutica. Ricoeur é fenomenólogo e hermeneuta. Seu compromisso fenomenológico leva-o para a hermenêutica e sua forma de praticar a hermenêutica só pode ser entendida desde a fenomenologia. Ricoeur é umfenomenólogo por vocação e um hermeneuta por destino. Para interpretar adequadamente a relação de Ricoeur com a fenomenologia atende-se à grande variedade de textos que escreveu sobre fenomenologia e hermenêutica, considerando seu caráter fenomenológico e hermenêutico não só em seus textos mais emblemáticos, mas em suas pequenas introduções, reflexões, etc., sobre a fenomenologia. Considero fundamental, a propósito, a compilação de textos Na escola da fenomenologia. Assim, conclui-se que a filosofia de Ricoeur tem uma contextura tríplice: reflexiva, descritiva e interpretativa. A filosofia reflexiva, a fenomenologia e a hermenêutica são três formas de fazer filosofia. No filósofo francês tais formas se unem, complementam e potenciam. Podemos dizer que pare ele a própria fenomenologia é reflexiva, descritiva e interpretativa. Estar "com Ricoeur" na escola da fenomenologia é estar no caminho mesmo da filosofia, que temos que fazer à altura da nossa época e de cara às nossas circunstâncias.

Palabras clave : Si mesmo; Sentido; Interpretação; Fenomenologia; Hermenêutica.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )