SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue45Improvement of silver nonoporticle impregnation on cotton fabrics using o binderOpportunities to implement Software Defined Radio in network sensors author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Revista Facultad de Ingeniería

Print version ISSN 0121-1129

Abstract

LONDONO-MONTES, Carlina Sofía; FERNANDEZ-TORRES, Mayerly Jhojana  and  CORDOBA-TUTA, Elcy María. Desenvolvimento de um revestimento de chamota/gesso para micro fundição de joias com esmeraldas pré-engastadas. Rev. Fac. ing. [online]. 2017, vol.26, n.45, pp.121-135. ISSN 0121-1129.  http://dx.doi.org/10.19053/01211129.v26.n45.2017.6421.

Durante o processo de micro fundição de joias com pré-engaste de gemas, o molde cerâmico composto de sílice e gesso, estabiliza-se a temperaturas próximas a 650 °C, enquanto que a temperatura de vertido da liga lindo ronda os 1000 °C. Por tal motivo, este método não é apropriado para gemas como a esmeralda, dada a grande suscetibilidade desta ao dano quando se expõe a temperaturas superiores a 350 °C. Tendo em conta o anterior, o objetivo do presente trabalho foi desenvolver um revestimento cerâmico de chamota/gesso que adquira estabilidade dimensional a baixas temperaturas, com o fim de implementar o método de pré-engaste de esmeraldas para a obtenção de peças de joalheria.

A metodologia experimental dividiu-se em três etapas: i) caracterização química, mineralógica, granulométrica e térmica das matérias primas; ii) preparação e caracterização das misturas chamota-gesso-água, incluindo tempos de vertido e fraguado das pastas, junto à permeabilidade e resistência à compressão e ao choque térmico, e, além disso, análise microestrutural, e iii) avaliação do novo revestimento no processo de micro fundição com pré-engaste de esmeraldas.

Encontrou-se que as condições mais adequadas para obter o revestimento chamota/gesso são: granulometria fina do refratário (100 % com passante malha 200), relação chamota/gesso 75/25 e adição de 50 % de água à mistura seca.

Os resultados da pesquisa permitem concluir que é possível submeter às esmeraldas ao processo de micro fundição de joias, com gemas pré-engastadas, empregando o revestimento chamota/gesso desenvolvido aqui, cujo tratamento térmico não supera os 350 °C, assim como uma liga de metal lindo de baixo ponto de fusão (398 °C).

Keywords : Chamota; Micro fundição; Molde refratário; Pré-engaste de esmeraldas; Gesso.

        · abstract in English | Spanish     · text in English     · English ( pdf )