SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número71“Por que devemos ser bons para com os animais?” A formação prática e moral dos brasileiros por meio dos discursos de proteção aos animais (1930-1939)Os primeiros anos da Revolução cubana e das Unidades Militares de Ayuda a la Producción (UMAP) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Compartilhar


Historia Crítica

versão impressa ISSN 0121-1617

Resumo

YANEZ ANDRADE, Juan Carlos. Os pobres estão convidados à mesa. Debates e projetos transnacionais de alimentação popular na América do Sul, 1930-1950. hist.crit. [online]. 2019, n.71, pp.69-91. ISSN 0121-1617.  http://dx.doi.org/10.7440/histcrit71.2019.04.

Objetivo/contexto:

este artigo analisa os debates sobre alimentação popular dos anos 1930 e 1950 na América do Sul; além disso, apresenta um quadro comparativo das experiências de refeitórios ou restaurantes populares que foram desenvolvidos na Argentina, no Uruguai, no Peru e no Chile.

Originalidade:

tradicionalmente, no contexto da formulação das políticas públicas que reforçaram a ação do Estado, o fenômeno da alimentação tem sido tratado como um problema restrito ao âmbito nacional. Sem negar essa perspectiva, o presente artigo sistematiza os debates que foram dados em instâncias continentais, sob o amparo de instituições supranacionais, como a União Pan-americana e a Organização Pan-americana da Saúde.

Metodologia:

este artigo encontra-se circunscrito em uma pesquisa analítica e descritiva, na qual os debates sobre a alimentação popular na América do Sul são sistematizados. Assim como em enfoques transnacionais, o fenômeno da alimentação é abordado como uma problemática, na qual instituições internacionais, grêmios profissionais e diversas instituições do Estado discutem, regionalmente, as políticas de intervenção social na matéria. Isso ajuda a compreender os elementos comuns e diferenciadores que as políticas de alimentação popular apresentaram na região, traçando, em alguns casos, a circulação das ideias ou influências que ocorreram ao compartilhar as experiências nos foros internacionais.

Conclusões:

aqui são apresentados os alcances que as instâncias internacionais de discussão tiveram na formulação, por parte dos Estados, de políticas de alimentação popular. São disponibilizadas as condições concretas de funcionamento dos restaurantes populares dos diferentes países, segundo as exigências de padrões internacionais e das variáveis culturais próprias de cada nação.

Palavras-chave : América do Sul; nutrição; alimentação popular; restaurantes populares.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol     · Espanhol ( pdf )