SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número38Borges y la metafísica tanguera en Fervor de Buenos Aires índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


La Palabra

versión impresa ISSN 0121-8530

Resumen

BECERRA MAYORGA, Witton  y  ESPITIA CABREJO, Néstor. Borges e o tango, uma revisão. La Palabra [online]. 2020, n.38, pp.91-105.  Epub 23-Nov-2020. ISSN 0121-8530.  http://dx.doi.org/10.19053/01218530.n38.2020.11291.

Em Borges há uma relação direita com o tango. Sua visão desse gênero musical se relaciona com as experiências que teve no meio do auge e da difusão inicial desse gênero musical argentino. Este artigo propõe uma revisão sobre a relação de Borges e o tango. A finalidade e o propósito da revisão é entender a colaboração entre Borges e Piazzolla no álbum de 1965, intitulado O tango. Desenvolve-se, portanto, uma revisão bibliográfica e documental de fontes críticas acerca da obra do escritor argentino e do tango. A última seção condensa o que tem sido escrito sobre a relação entre Borges e Piazzolla. Assim, o tango é entendido como obra mítica e a milonga como formadora do tango na versão canção e a visão de Borges a respeito. Borges tem uma visão conservadora do tango. Borges preserva a visão mítica do tango, as análises das fontes mostram que ele não compartilhava as novas formas de fazer música argentina. Esse foi o motivo pelo qual não concordou com Piazzolla, não só com a visão que cada um tinha do tango, mas com o resultado de seu álbum de 1965.

Palabras clave : Borges; literatura argentina; milonga; música argentina; Piazzolla; tango.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Español     · Español ( pdf )