SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.11 número2PSICOCIRUGÍA, ESTIMULACIÓN CEREBRAL PROFUNDA Y CIRUGÍA PARA ENFERMEDADES PSIQUIÁTRICAS: EL RIESGO DEL NEURODETERMINISMOMOMENTOS CLAVE PARA HUMANIZAR EL PASO POR LA UNIDAD DE CUIDADOS INTENSIVOS NEONATAL índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Em processo de indexaçãoCitado por Google
  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO
  • Em processo de indexaçãoSimilares em Google

Compartilhar


Persona y Bioética

versão impressa ISSN 0123-3122

Resumo

HERNAEZ GARCIA, Milagrosa. LA NEUTRALIDAD TERAPÉUTICA DEL PSICÓLOGO. pers.bioét. [online]. 2007, vol.11, n.2, pp.126-137. ISSN 0123-3122.

Neste artigo é examinada a neutralidade na terapia psicológica, a fim de expor questões e reflexoes; é considerada a definição de neutralidade na psicoterapia e se o psicólogo pode aplicá-la quando dirige a mudança do que vai á consulta. Também são identificados os elementos que dão neutralidade ao reconhecimento do que consulta e argumenta-se acerca de eles: se é alguém que pode faze-lo, condições penais e profissionais do psicoterapeuta e a boa idéia da consulta. Não entanto, admite-se que a pergunta como instrumento, a valoração social dos resultados terapéuticos e o manejo inapropriado de esta relação assimétrica são elementos de duvidosa neutralidade. Por conseguinte, a pergunta acerca da neutralidade fica flutuando e se conclui que o psicólogo atua somente como agente de mudança e que a pessoa que consulta é livre e responsável de dar significado a sua vida.

Palavras-chave : neutralidade; terapia psicológica; agente de mudança; honestida- de profissional.

        · resumo em Espanhol | Inglês     · texto em Espanhol     · Espanhol ( pdf )