SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue2MODELLI Dl SVILUPPO, MODELLI Dl CURA author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Persona y Bioética

Print version ISSN 0123-3122

Abstract

SHAND-KLAGGES, Beatriz. NUTRICIÓN EN LOS PACIENTES EN ESTADO VEGETATIVO: ¿CUIDADO BÁSICO O TRATAMIENTO?. pers.bioét. [online]. 2009, vol.13, n.2, pp.193-204. ISSN 0123-3122.

Para responder à pergunta de si é moralmente admissível a suspensão do fornecimento de alimentação a pacientes em estado vegetativo, na discussão atual são reconhecidos duas posições aparentemente inconciliáveis: nutrição vista como cuidado básico e, portanto, obrigatória; e nutrição assistida vista como terapia, e, conseqüentemente, é sempre opcional. Nesta discussão surgem duas questões importantes: é a nutrição assistida uma medida básica ou um tratamento? E moralmente, é facultativa ou obrigatória? Para responder adequadamente a essas perguntas, devemos considerar que cada um tem o dever de cuidar sua saúde e a de outras pessoas que estão ao nosso cuidado. Não todos os tratamentos em qualquer circunstância devem considerar-se simplesmente "opcionais & Para cada caso, do ponto de vista ético, o mais correto é realizar um juízo de proporcionalidade. Neste artigo, se revisam criticamente as posições atuais sobre o problema da alimentação medicamente assistida em pacientes em estado vegetativo, com especial ênfase na reflexão da tradição moral católica, e se propõe uma metodologia para analisar este problema, com base no princípio da proporcionalidade terapêutica.

Keywords : nutrição; estado vegetativo persistente; cuidado básico; proporcionalidade terapêutica.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · Spanish ( pdf )