SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.8 issue1SOCIODEMOGRAPHIC AND HEALTH PROFILE OF ELDERLY WOMEN PARTICIPATING IN GROUPS FOR THE ELDERLY IN RECIFE, PERNAMBUCORISK FACTORS FOR LEFT VENTRICULAR SYSTOLIC DYSFUNCTION IN ADULTS FROM A GLOBAL HEALTH PROGRAM author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Revista Cuidarte

Print version ISSN 2216-0973

Abstract

TORO-RUBIO, Moraima Del; DIAZ-PEREZ, Anderson; BARRIOS-PUERTA, Zorayda  and  CASTILLO-AVILA, Irma Yolanda. AUTOMEDICAÇÃO E CRENÇAS EM TORNO A SUA PRÁTICA EM CARTAGENA, COLÔMBIA. Rev Cuid [online]. 2017, vol.8, n.1, pp.1509-1518. ISSN 2216-0973.  http://dx.doi.org/10.15649/cuidarte.v8i1.367.

Introdução:

O uso racional de medicamentos tem implicações sanitárias de grande importância, uma vez que a prática de automedicação gera importantes efeitos negativos sobre a saúde. Objetivo: Descrever as crenças em torno à prática da automedicação entre os habitantes com idades de 20 a 59 anos, da localidade 2, da cidade de Cartagena, Colômbia.

Materiais e Métodos:

Estudo descritivo de coorte transversal. A população foi de 428 pessoas, foi aplicado um instrumento, cuja informação foi analisada mediante estatística descritiva.

Resultados e Discussão:

Os entrevistados eram do sexo feminino (58.6%), entre 20 e 29 anos de idade (35%), com ensino médio completo (29.7%), proveniente de zona urbana (78%), chefes de família (50.2%), união de facto (44,2%). A prevalência da automedicação foi de 89.7%. A falta de tempo (28.3%) e a demora no atendimento médico (22.7%) foram os principais motivos para o fazerem. A principal influência veio da família (49.3%). Entrevistados acreditam que alguns medicamentos são milagrosos e de efeito rápido; é comum o uso de ervas e plantas medicinais. Os medicamentos de maior consumo foram destinados para o tratamento da dor (95.1%), junto como os antitérmicos (72.4%) e as vitaminas/minerais (53.7%).

Conclusões:

A automedicação foi uma prática muito usada e divulgada na população estudada.

Keywords : Enfermagem em Saúde Comunitária; Automedicação; Medicamentos sem Prescrição.

        · abstract in English | Spanish     · text in Spanish     · Spanish ( pdf )