SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 issue1Aspects that facilitate or interfere in the communication process between nursing professionals and patients in critical stateNursing diagnoses and adaptation problems among chronic renal patients author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Article

Indicators

Related links

  • On index processCited by Google
  • Have no similar articlesSimilars in SciELO
  • On index processSimilars in Google

Share


Investigación y Educación en Enfermería

Print version ISSN 0120-5307

Invest. educ. enferm vol.33 no.1 Medellín Jan./Apr. 2015

 

ARTÍCULO ORIGINAL / ORIGINAL ARTICLE / ARTIGO ORIGINAL

 

Perfil de diagnósticos de enfermagem em pacientes com distúrbios respiratórios

 

Profile of nursing diagnoses in patients with respiratory disorders

 

Perfil de diagnósticos de enfermería en pacientes con disturbios respiratorios

 

 

Naftale Alves dos Santos1; Tahissa Frota Cavalcante2; Marcos Venícios de Oliveira Lopes3; Emiliana Bezerra Gomes4; Célida Juliana de Oliveira5

 

1Enfermeira, Mestranda. Universidade Federal do Ceará, Fortaleza–CE, Brasil. e-mail: naftalealves@yahoo.com.br.

2Enfermeira, Doutora Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), Acarape-CE, Brasil. e-mail: tahissa@ig.com.

3Enfermeiro, Doutor em Enfermagem. Universidade Federal do Ceará. Fortaleza-CE, Brasil. e-mail: marcos@ufc.br.

4Enfermeira, Doutoranda em Enfermagem pela Universidade Estadual do Ceará, Professora Assistente da Universidade Regional do Cariri (URCA). Fortaleza-CE, Brasil. e-mail: emiliana.bg@hotmail.com.

5Enfermeira, Doutora. URCA, Crato-CE, Brasil. e-mail: celidajuliana@yahoo.com.br.

 

Fecha de Recibido: Mayo 20, 2014. Fecha de Aprobado: Noviembre 4, 2014.

 

Artículo vinculado a investigación: Perfil de diagnósticos de enfermagem em pacientes com distúrbios respiratórios.

Subvenciones: Ninguna.

Conflicto de intereses: Ninguno.

Cómo citar este artículo: Santos NA, Cavalcante TF, Lopes MVO, Gomes EB, Oliveira CJ. Profile of nursing diagnoses in patients with respiratory disorders. Invest Educ Enferm. 2015; 33(1): 112-118.

 


RESUMO

Objetivo. Identificar o perfil de diagnósticos de enfermagem em pacientes com distúrbios respiratórios. Metodologia. Estudo descritivo e transversal realizado com 38 pacientes com problemas respiratórios dos hospitais de referência em uma cidade do Nordeste brasileiro, no período de agosto a outubro de 2012. A coleta dos dados foi realizada utilizando-se um formulário e a inferência diagnóstica foi feita de acordo com a Taxonomia II da NANDA-I. Resultados. A média de idade dos pacientes estudados foi de 46 anos e predominou o sexo masculino (60.5%). Os diagnósticos de enfermagem mais frequentes foram: Risco de infecção (97.3%), Dor agudo (68.4%), Conhecimento deficiente (68.4%), Estilo de vida sedentário (65.7%), Desobstrução ineficaz das vias aéreas (65.7%), Comportamento de saúde propenso a risco (63.1%), Intolerância a atividade (52.6%) e Transtorno do padrão de sono (33.3%). Os pacientes avaliados apresentaram em média 8,6 diagnósticos de enfermagem (DP=2.8). Com respeito às características definidoras e aos fatores relacionados a média por pessoa foi de 7.2 e 9.3, respectivamente. Conclusão. Neste grupo de pacientes os diagnósticos mais frequentes foram do domínio atividade/repouso. O conhecimento do perfil de diagnósticos de enfermagem apresentados pelas pessoas com distúrbios respiratórios é importante, pois faz parte do Processo de Enfermagem e os enfermeiros que cuidam deste tipo de pacientes devem exercê-los em sua prática assistencial. O conhecimento dos principais diagnósticos de enfermagem apresentados por pacientes com distúrbios respiratórios são importantes para a prática dos enfermeiros que cuidam destes pacientes, pois permite a escolha de ações direcionadas aos problemas de sua clientela.

Palavras chave: classificação; diagnóstico de enfermagem; sistema respiratório.


ABSTRACT

Objective. Identify the profile of nursing diagnoses in patients with respiratory disorders. Methodology. A descriptive and cross-sectional study involving 38 patients with respiratory problems, of referral hospitals, in a city in northeastern Brazil, in the period from August to October, 2012. Data collection was performed using a form and diagnostic inference was made according with the Taxonomy II of NANDA I. Results. The average age of the patients was 46 years and males predominated (60.5%). The most frequent nursing diagnoses were: Risk for infection (97.3%), Acute pain (68.4%), Poor knowledge (68.4%), Sedentary lifestyle (65.7%), Ineffective airway clearance (65.7%), Risk-prone health behavior (63.1%), Activity intolerance (52.6%) and Disturbed sleep pattern (33.3%). Evaluated patients exhibited an average of 8.6 nursing diagnoses (SD = 2.8). With respect to the defining characteristics and related factors the average per person was 7.2 and 9.3, respectively. Conclusion. In this group of patients the most frequent diagnoses were the domain activity/rest. Knowledge of nursing diagnoses profile presented by people with respiratory disorders is important, because it is part of the Nursing Process and nurses who take care of such patients should exercise them in their care practice. Knowledge of the mains nursing diagnosis presented by patients with respiratory disorders are important for the practice of nurses who care for these patients, because it allows the choice of responses to problems of their clientele.

Key words: classification; nursing diagnosis; respiratory system.


RESUMEN

Objetivo. Identificar el perfil de diagnósticos de enfermería en pacientes con disturbios respiratorios. Metodología. Estudio descriptivo y transversal realizado con 38 pacientes con problemas respiratorios de dos hospitales de referencia en una ciudad del Nordeste brasileño, en el período de agosto a octubre de 2012. La recolección de los datos fue realizada utilizando un formulario y la inferencia diagnóstica fue hecha de acuerdo con la Taxonomía II de la NANDA-I. Resultados. El promedio de edad de los pacientes estudiados fue de 46 años, predominó el sexo masculino (60.5%)). Los diagnósticos de enfermería más frecuentes fueron: Riesgo de infección (97.3%), dolor agudo (68.4%), conocimiento deficiente (68.4%), estilo de vida sedentario (65.7%), Desobstrucción ineficaz de las vías aéreas (65.7%), comportamiento de salud propenso al riesgo (63.1%), intolerancia a la actividad (52.6%) y trastorno del patrón del sueño (33.3%). Los pacientes evaluados presentaron en promedio 8.6 diagnósticos de enfermería (DE=2.8). Con respecto a las características definitorias y a los factores relacionados el promedio por persona fue de 7.2 y 9.3, respectivamente. Conclusión. En este grupo de pacientes los diagnósticos más frecuentes fueron del dominio actividad/reposo. El conocimiento del perfil de diagnósticos de enfermería presentados en las personas con disturbios respiratorios es importante pues hace parte del Proceso de Enfermería y los enfermeros que cuidan este tipo de pacientes deben tenerlos en cuenta en su práctica asistencial.

Palabras clave: clasificación; diagnóstico de enfermería; sistema respitatorio.


 

 

INTRODUÇÃO

As doenças respiratórias têm sido uma das principais causas de morbidade e mortalidade em muitos países. Estima-se que tais enfermidades são responsáveis por cerca de 8% do total das mortes em países desenvolvidos e 5% em países em desenvolvimento.1 De acordo com informações obtidas pelo Departamento de Informática do SUS-Sistema Único de Saúde (sistema de saúde brasileiro), só no ano de 2013, 1 315 343 milhões de pessoas foram internadas no Brasil acometidas por enfermidades respiratórias.2  São doenças respiratórias aquelas que acometem o trato e órgãos superiores ou inferiores das vias aéreas podendo ocorrer um processo inflamatório infeccioso ou não infeccioso, sofrendo a influência de patógenos, fatores alérgenos e traumas podendo ser, ainda, agudas ou crônicas.3

A presença de distúrbios respiratórios repercute não apenas na saúde do indivíduo, mas pode afetar a dinâmica familiar, as atividades da vida diária e, por fim, em sua qualidade de vida.4 Tais condições geram problemas ou situações clínicas pelas quais os enfermeiros são responsáveis por tratar e acompanhar sua evolução. Se não tratadas de forma adequada e se a assistência de enfermagem não for bem implementada, os pacientes podem evoluir com várias complicações, sejam elas agudas ou crônicas que podem levar à hospitalização frequente. Para efetuar uma assistência de enfermagem de qualidade os enfermeiros dispõem de ferramentas que os auxiliam no processo de tomada de decisão. Algumas dessas ferramentas incluem o Processo de Enfermagem que, quando executado com a utilização de sistemas de linguagem padronizadas, incluindo a de diagnósticos de enfermagem da NANDA-I5, proporcionam uma assistência de forma sistemática e dinâmica, promovendo a humanização e o direcionamento dos resultados garantindo a segurança do paciente.6

A NANDA-I5 define os diagnósticos de enfermagem como ''julgamentos clínicos sobre as respostas do indivíduo, da família ou da comunidade a problemas de saúde reais ou potenciais e proporcionam as bases para as seleções de intervenções de enfermagem para alcançar resultados pelos quais o enfermeiro é responsável''. A exatidão dos diagnósticos de enfermagem é importante porque constitui a base para a escolha das intervenções e dos resultados de enfermagem nos diversos âmbitos do cuidado. No contexto das doenças respiratórias, são poucos os estudos que incluem os diagnósticos de enfermagem, a identificação destes faz-se necessária para a prática clínica dos enfermeiros auxiliando-os no processo de tomada de decisão tornando-a mais científica e menos indutiva.  Diante disto, neste estudo objetivou-se identificar o perfil de diagnósticos de enfermagem em pacientes com distúrbios respiratórios.

 

METODOLOGIA

Trata-se de um estudo descritivo e transversal desenvolvido em dois hospitais situados na região Nordeste do Brasil. O primeiro é um hospital geral, filantrópico e de nível secundário, escolhido por ser referência no tratamento de doenças respiratórias. O segundo hospital é também, um hospital geral de nível secundário e privado. Estes hospitais foram escolhidos por serem referências no tratamento dos distúrbios respiratórios.

A população foi constituída por 38 pacientes internados, captados na clínica médica dos referidos hospitais. Para a composição da amostra, os pacientes atenderam aos seguintes critérios de inclusão: a) estar internado em um dos referidos hospitais com diagnóstico médico de algum distúrbio respiratório; b) ter idade igual ou superior a 18 anos. Como critério de exclusão foi considerado: a) pacientes que durante a coleta de dados apresentassem situações de emergência com risco de morte. A amostra foi selecionada por conveniência de forma consecutiva. A coleta de dados foi realizada por um dos pesquisadores nos meses de agosto a outubro de 2012. Os dados foram obtidos por fonte primária diretamente com os pacientes, mediante entrevista e exame físico, e por fonte secundária mediante consulta aos prontuários. Para a avaliação clínica dos pacientes e entrevista utilizou-se um formulário elaborado tendo como base dois estudos realizados anteriormente7,8 sobre a validação de um questionário em pacientes com doença pulmonar obstrutiva crônica no Brasil e o outro sobre desobstrução ineficaz das vias aéreas em crianças asmáticas, o qual foi adaptado para adultos.

Após as devidas adaptações, o formulário foi utilizado com o objetivo de identificar os sinais e sintomas que compõem as características definidoras e os fatores etiológicos que compõem os fatores relacionados dos diagnósticos de enfermagem como, por exemplo, ''Padrão respiratório ineficaz'' e ''Desobstrução ineficaz de vias aéreas'', bem como dos diagnósticos não relacionados ao sistema respiratório como ''Estilo de vida sedentário'' possivelmente presentes em pacientes com distúrbios respiratórios. O referido formulário contém tópicos sobre os dados de identificação e admissão, queixa principal/motivo da internação, exame físico incluindo a obtenção de dados relacionados com os sinais vitais, a aparência geral, avaliação torácica e respiratória, história atual e pregressa de saúde, fatores de risco como tabagismo e etilismo, necessidades e autocuidado, além de informações complementares quanto à realização de exames e tratamento farmacológico e não farmacológico.

A elaboração e a inferência diagnóstica foram realizadas por um dos autores do estudo seguindo as etapas de coleta dos dados junto ao paciente, interpretação, agrupamento das informações e nomeação das categorias diagnósticas.9 Para a nomeação dos diagnósticos de enfermagem, foi utilizada como referência a Taxonomia II da NANDA-I.5  Os dados foram compilados no software Excel 2010 e a análise estatística foi realizada por meio do software Epi-Info 7.0. Os dados foram analisados segundo medidas de frequência numérica absoluta e relativa, medidas de tendência central e de dispersão.

Foram respeitadas todas as normas éticas e legais da legislação brasileira. Para tanto, este projeto foi submetido ao Comitê de Ética com o parecer favorável de número 134/2012 e todos os participantes assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido.

 

RESULTADOS

Em relação aos dados sociodemográficos, os pacientes internados com distúrbios respiratórios eram, na sua maioria, do sexo masculino (60.5%) e viviam com companheira (55.2%). Em relação à profissão a maioria era aposentada (36.8%) seguido por autônomo (23.6%). No tocante à procedência e à religião grande parte era da zona urbana (52.6%) e católica (97.3%). Quanto à idade, os pacientes tinham em média 46,2±20.0 anos, 5,7±5.3 anos de estudo e uma renda em média de 1298,90±564.4 reais. A maioria dos diagnósticos de enfermagem encontrados era do domínio atividade/repouso (36.1%), seguido pelos domínios segurança/proteção (19.4%), nutrição (13.8%) e percepção/cognição (8.3). Foram identificados 36 diferentes diagnósticos de enfermagem, 54 características definidoras e 73 fatores relacionados. Os pacientes avaliados apresentaram em média 8.6 diagnósticos de enfermagem (DP=2.8). Concernente às características definidoras e fatores relacionados, a média por pessoa foi de 7,2 (DP=2.3) e 9.3 (DP=2.9) respectivamente, conforme apresentado na Tabela 1.

Tabela 1. Distribuição dos diagnósticos de enfermagem quanto aos domínios da Taxonomia II da NANDA-I e distribuição das medidas de tendência central e de dispersão dos diagnósticos de enfermagem, características definidoras e fatores relacionados.

Tabela 1.

A seguir, na Tabela 2, consta a distribuição dos diagnósticos de enfermagem, características definidoras e fatores relacionados mais frequentes em pacientes com distúrbios respiratórios que participaram deste estudo.

Tabela 2. Distribuição dos diagnósticos de enfermagem, características definidoras e fatores relacionados apresentados pelos pacientes com distúrbios respiratórios

Tabela 2.

 

DISCUSSÃO

Em relação à variável sexo, os homens estiveram mais presentes no estudo, representando 60.5% da população. Alguns estudos10,11 apontam que homens são mais acometidos por enfermidades respiratórias do que as mulheres. No Brasil, estima-se que 52.7% das internações por doenças respiratórias ocorreram na população masculina no último ano.2 No tocante à idade, os participantes do estudo tinham em média 46.2 anos de idade (DP=20.0), contudo, 34.2 % da amostra foi composta por idosos. Outros estudos apontam para a presença dos distúrbios respiratórios tanto entre a população idosa10,12 quanto entre indivíduos jovens.13

Quanto à ocupação, a maioria dos pacientes era aposentada (36.8%) e autônoma (23.6%), o que se justifica pela quantidade de idosos que participarem do estudo. Ainda que patologias no trato respiratório possam estar associadas à ocupação (como a silicose, exposição à queima da cana-de-açúcar e aos riscos biológicos) neste estudo, não foi investigada a sua relação com o trabalho dos pacientes. Em relação à escolaridade, a média de anos de estudo, foi de 5.7 (DP=5,3). Quanto à renda familiar, a média foi de 1298,9 reais (DP=564.4). Em um estudo com base populacional realizado com 2.051 pessoas foi identificado que a maioria dos participantes do estudo tinha menos de 12 anos de estudo (77.8%) e apresentava renda familiar per capita mensal de até 1,58 salários mínimos (58.3%).12

Centenas de milhões de pessoas (desde a primeira infância à velhice) sofrem de doenças respiratórias evitáveis e de alergias respiratórias, em todos os países do mundo. Dessas pessoas, mais de 500 milhões vivem em países de baixos ou médios rendimentos ou pertencem a populações desfavorecidas.1 Conforme exposto anteriormente, os pacientes com problemas respiratórios requerem cuidados que tenham como base os diagnósticos de enfermagem, a fim de prevenir complicações que afetem de forma geral a qualidade de vida do indivíduo. Este estudo apontou um total de 36 diferentes diagnósticos de enfermagem. Foi identificada uma média de 8.6 diagnósticos de enfermagem por paciente, média de 7.2 características definidoras e média de 9.3 fatores relacionados.

O número e a variedade dos diagnósticos de enfermagem encontrados nesta pesquisa indica a quantidade de trabalho que deve ser desprendida pela equipe de enfermagem para a execução da assistência/intervenções. As intervenções são executadas por meio das prescrições de enfermagem. Quanto maior o número de diagnósticos de enfermagem, maior a quantidade de prescrições e, consequentemente, torna-se necessária a atuação da equipe de enfermagem. Neste estudo, dos oito diagnósticos de enfermagem mais frequentes percebeu-se que a maioria se configurava como diagnóstico de enfermagem real e apenas um como diagnóstico de risco. Verificou-se ainda um maior número de fatores relacionados quando comparado à quantidade de características definidoras, justificando assim, a necessidade da elaboração de um plano de cuidados individualizado.

Para que os enfermeiros executem cuidados individualizados, os mesmos devem apoiar-se em evidências científicas na tomada de decisão. No tocante aos diagnósticos de enfermagem, pesquisas que envolvam perfil de diagnósticos em situações clínicas específicas e, mais recentemente, aquelas que estão relacionadas à validação e a acurácia diagnóstica auxiliam no processo de inferência diagnóstica tornando a prática clínica mais segura e eficaz. Neste estudo a característica definidora ''verbalização do problema'' do diagnóstico de enfermagem ''Conhecimento deficiente'' foi a mais observada na amostra. Esta característica definidora foi tida como a principal para a inferência diagnóstica, segundo um estudo sobre a validação de conteúdo deste diagnóstico.14

Quanto ao diagnóstico ''Dor aguda'', outros estudos10,15 evidenciam a característica definidora ''Relato verbal de dor'' como a principal presente em indivíduos com o diagnóstico, conforme observamos também nesta pesquisa. Em um estudo recente16 sobre a Revisão do diagnóstico de enfermagem ''Estilo de vida sedentário'', a característica definidora ''Escolhe uma rotina diária sem exercícios físicos'' foi tida como uma das principais do deste diagnóstico, segundo a análise de conceito realizada pelos autores.

Em relação ao diagnóstico de enfermagem ''Desobstrução ineficaz das vias aéreas'', um estudo realizado sobre a prevalência das características definidoras deste diagnóstico em crianças com infecção respiratória aguda17, verificou que a característica definidora ''Ruídos adventícios respiratórios'' esteve presente em 77.5% da amostra. De forma semelhante, neste estudo, verificou-se que esta característica foi a mais presente entre os adultos com distúrbios respiratórios. Consoante ao perfil de diagnóstico de enfermagem apresentados pelos pacientes com distúrbios respiratórios, um estudo semelhante desenvolvido em uma unidade de pneumologia10, detectou que os diagnósticos de enfermagem mais comuns foram: Troca de gases prejudicada (79%), Privação de sono (59%), Risco de queda (59%), Nutrição desequilibrada: menos do que as necessidades corporais (44%) e Risco de infecção (41%). Destaca-se que, neste estudo, o perfil de diagnósticos traçado também incluiu aqueles apresentados na unidade de pneumologia, porém com prevalência menor, justificando assim a ausência dos mesmos na Tabela 2.

O conhecimento dos principais diagnósticos de enfermagem apresentados por pacientes com distúrbios respiratórios são importantes para a prática dos enfermeiros que cuidam destes pacientes, pois permite a escolha de ações direcionadas aos problemas de sua clientela. Vale lembrar que o desenvolvimento de estudos de acurácia, validação e resultados e intervenções que envolvam os principais diagnósticos encontrados neste estudo são importantes para confirmar os achados de pesquisas como essa e cooperar com a escolha das características definidoras e fatores relacionados que representam de fato as condições do paciente. Antes de extrapolar os achados deste estudo é importante observar algumas limitações que podem estar presentes neste estudo, como: tamanho reduzido do número de participantes do estudo e processo de inferência diagnóstica realizada por apenas um dos autores do estudo.

 

REFERÊNCIAS

1. Organização Mundial de Saúde –OMS-. Vigilância global, prevenção e controle das doenças respiratórias crônicas. Lisboa, Portugal :OMS; 2008.         [ Links ]

2. DATASUS, Departamento de informática do SUS. Morbidade por doenças respiratórias. [Web site]; 2014 (cited: Sept 9, 2014). Available from: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/tabcgi.exe?sih/cnv/niuf.def.

3. Kumar V, Perkins JA. Robbins e Cotran-Patologia: bases patológicas das doenças. 8th Ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2010.         [ Links ]

4. Montefusco SAR, Bachion MM. Manutenção do lar prejudicada: diagnóstico de enfermagem em familiares de pacientes hospitalizados com doenças crônicas. Rev Eletr Enf. 2011; 13(2):182-9.         [ Links ]

5. NANDA International. Diagnósticos de Enfermagem da NANDA. Definições e Classificações. Porto Alegre: Artmed; 2010.         [ Links ]

6. Chianca TCM, Tannure MC, Salgado PO. Integração das classificações de enfermagem NANDA-I, NOC, e NIC em sistemas de informação hospitalar. In: NANDA International; Herdman TH, Carvalho EC. PRONANDA – Programa de Atualização em Diagnósticos de Enfermagem – Ciclo 1. Porto Alegre: Artmed Panamericana; 2013. P.81-100.         [ Links ]

7. Souza T C, Jardim JR, Jones P. Validação do questionário do hospital em Saint George na doença respiratória (SGRQ) em pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica no Brasil. Jornal de Pneumologia. 2000; 26(3).         [ Links ]

8. Lima LHO, Lopes MVO, Falcão RTS, Freitas RMR, Oliveira TF, Costa MCC. Intervention for ineffective airway clearance in asthmatic children: A controlled and randomized clinical trial. Int J Nurs Pract. 2013; 19:88-94.         [ Links ]

9. Gordon M. Nursing Diagnosis: process and application. 3rd Ed. St. Louis: Mosby; 1994.         [ Links ]

10. Aquino RD, Fonseca SM, Lourenço EPL, Leite AL, Bettencourt ARC.Mapeamento dos diagnósticos de enfermagem em uma unidade de pneumologia. Acta Paul Enferm. 2011; 24(2): 192-8.         [ Links ]

11. Agustí A, Barnes PJ. Update in Chronic Obstructive Pulmonary Disease 2011. Am J Respir Crit Care Med. 2012; 185(11):1171-6.         [ Links ]

12. Gottlieb MGV, Schwanke CHA, Gomes I, Cruz IBM. Envelhecimento e longevidade no Rio Grande do Sul: um perfil histórico, étnico e de morbi-mortalidade em idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2011; 14(2):365-80.         [ Links ]

13. Bernat AC, Oliveira MC, Rocha GC, Boing AF, Peres KG. Prevalência de sintomas respiratórios e fatores associados: estudo de base populacional em adultos de Lages, Santa Catarina Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25(9):1907-16.         [ Links ]

14. Galdeano LE, Rossi LA, Pelegrino FM. Validação de conteúdo do diagnóstico de enfermagem conhecimento deficiente. São Paulo, Acta Paul Enferm. 2008; 21(4):549-55.         [ Links ]

15. Flores PVP, Sobrinho NP, Vernáglia TVC. Nurse's action in the pain of the cardiac client: a study face the recognition of the nursing intervention. J. Rio de Janeiro. Res: Fundam Care. 2013; 5(4):716-26.         [ Links ]

16. Guedes NG, Lopes MVO, Cavalcante TF, Moreira RP, Araujo TL. Revisão do diagnóstico de enfermagem Estilo de vida sedentário em pessoas com hipertensão arterial: análise conceitual. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47(3):742-9.         [ Links ]

17. Andrade LZC, Moura KKM, Chaves DBR, Silva VM, Lopes MVO. Desobstrução ineficaz das vias aéreas em crianças com infecção respiratória aguda. Rev Eletr Enf. 2014; 16(1):21-7.         [ Links ]