SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 número38El papel de la contabilidad ante la crisis financiera. Una reflexión sobre el conservadurismo incondicional de la NIIF 9 índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Cuadernos de Contabilidad

versión impresa ISSN 0123-1472

Cuad. Contab. vol.15 no.38 Bogotá jul./dic. 2014

http://dx.doi.org/10.11144/Javeriana.cc15-38.ppmt 

Editorial

Papel das publicações em meio a tensões entre pesquisa académica e prática contábil

Na disciplina contábil, como com certeza em outras mais, tem uma tensão ou debate constante sobre a existência ou não de um enlace entre pesquisa académica e prática professional no contexto organizacional. O presente editorial revê alguns argumentos expostos na literatura académica em volta deste debate e os relaciona com o papel que as publicações académicas, como Cuadernos de Contabilidad, deveria levar nesse quadro.

Trata-se, em essência, de revisar qual o escopo da pesquisa contábil que termina a ser publicada em revistas académicas e como é que tais publicações podem (ou devem) resultar pertinentes, não apenas no contexto universitário e académico propriamente tal, senão também na prática professional exercida em entes económicos e outras instituições.

Este texto, que procura levantar cenários de interação entre a pesquisa (em especial a universitária em contabilidade), sugere que, ao mesmo tempo que devem se reconhecer estas relações, não é possível se pretender que o único papel da pesquisa seja orientar a prática ouse limitar a ela, pois circunscrever a pesquisa ao mundo da prática é equivalente a pensar que o papel da universidade é formar apenas profissionais para o mundo do trabalho, o que estaria desvirtuando ou reduzindo o seu escopo como instituição que, no entanto, deve constituir a consciência da sociedade e não apenas ser um preparador de mão de obra para o mercado laboral.

A seguir, vai se expor alguns argumentos ao redor do papel da pesquisa contábil e, em particular, a publicada em revistas, e sua relação com o mundo prático pois procura suster a in-terrelação mas à vez independência, que deve existir entre esses dois âmbitos. Não é pretensão o esgotar ou seguir exaustivamente cada um dos argumentos e papéis a serem expostos, mas abrir debates como, por sorte, aconteceu com outras iniciativas e temáticas incluídas já neste espaço editorial.

Em primeiro lugar, segundo a argumentação de Basil P. Tucker e Alan D. Lowe (2014), um primeiro papel da pesquisa contábil é fornecer elementos para o melhoramento da formação profissional contábil à que acede o pessoal que acaba por exercer profissionalmente a prática contábil em empresas e outras organizações. Esse papel, é mediado então por uma relação mais direta entre pesquisa e docência, num começo e, entre tal docência e a prática profissional, após.

Aliás, nesse primeiro papel da pesquisa con-tábil, geram-se importantes implicações para as revistas académicas, pois os leitores naturais deveriam ser os docentes que podem procurar nelas os conteúdos para melhorar e manter atualizadas as aulas que ministram. Isso ai não deve ser entendido como os professores concordando ou compartilhando plenamente o publicado, senão que os artigos publicados podem estar ao serviço dos objetivos formativos dos cursos para reforçar ou desvirtuar os conteúdos desde a sala de aula, o que qualificaria ainda mais a formação dos futuros contadores a sair para exercer o oficio.

Mas também gera uma outra implicação: pensar os docentes como potenciais autores para as revistas académicas, na medida em que suas experiências docentes e sua reflexão a propósito delas deve ser parte do objeto e interesse das revistas académicas.

Em princípio, a interação entre pesquisadores universitários e docentes deve ser muito maior, porque tem em comum a preocupação pelo conhecimento, sua difusão e ensino. Nesta medida, as revistas académicas podem aportar insumos para a formação e aprendizagem sempre que os docentes sejam permanentes leitores delas e, por sua vez, as revistas devem estar dispostas a incluir trabalhos provenientes de reflexões rigorosas desde a docência.

Isso supõe um desafio adicional para escritores e autores de artigos: preparar seus documentos em uma linguagem acessível a alunos de graduação e pós-graduação, além de cumprir as condições e exigências das publicações nas que esperam divulgar o seu trabalho.

Dentro desse mesmo papel que pode jogar a pesquisa face à prática profissional, mediada pela docência ministrada aos futuros profissionais em exercício, surge o tema de que a pesquisa publicada permite a docentes e académicos evidenciar seus próprios progressos no processo da carreira docente que acostumam ter as universidades e que deveria repercutir não só na divulgação do conhecimento para fora das instituições, senão —e sobretudo— para a docência que o professor pesquisador ministra.

Esse papel já foi controvertido, quando as lógicas institucionais conduziram à publicação para conseguir promoções e pontos que melhorassem o salário e o estatuto dos docentes. Essa lógica pode conduzir facilmente a professores e pesquisadores "publicarem por publicar", ou a que o mesmo texto seja divulgado em vários espaços, como eventos e revistas, sem maiores modificações.

Para materializar este papel é preciso contar com docentes cuja ética e autonomia superem as regras administrativas e do gerenciamento da pesquisa e a produção intelectual, e vejam nela um verdadeiro termómetro dos seus avanços, progressos, retrocessos, limitações e possibilidades nas suas áreas de perícia que, por sua vez, melhore a docência e consequentemente a prática profissional.

Mesmo, pela experiência conseguida pela revista Cuadernos de Contabilidad, a escrita de artigos académicos traz transformações mentais no docente, ao redor do conhecimento que, sem dúvida, melhoram não só a pesquisa em si própria senão também seu labor pedagógico.

Um segundo papel da pesquisa tem a ver com a postura crítica em relação ao papel da disciplina que poderia não ser percebida desde a prática profissional em si própria. Segundo Lee D. Parker, James Guthrie e Simon Linacre (2011), "os profissionais não devem se conformar com apenas pesquisar um tópico ou averiguar sobre um tema ou tendência, etc., senão que também devem manter uma atitude crítica, que lhes permita se reconstruir teoricamente para formar bases sólidas com o objetivo último de fortalecer a profissão" (p. 8).

Esse papel da pesquisa publicada teria a ver não só com reiterar e melhorar aplicações dos quadros regulamentares, senão com examinar o papel da informação e as práticas contábeis no contexto organizacional, social, ambiental e político atual, o que ademais denota uma necessária concepção interdisciplinar da contabilidade, para propor transformações de realidades marcadas por interesses políticos de grupos dominantes e, pelo geral, caracterizadas pela iniquidade, exclusão de atores sociais e económicos, cuja situação termina legitimada pelas práticas contábeis dominantes.

Ao olhar crítico da contabilidade subjaze um entendimento que mostra a disciplina e a informação que produz como una prática não-neutra ante a realidade, mas derivada de interesses, normalmente dominantes das elites políticas e económicas, que condicionam a regulamentação contábil às relações de poder social, político e económico em contextos globais ou locais determinados.

Por colocá-lo de maneira diferente, a pesquisa crítica fornece permanentes mensagens para que os contadores desde suas diversas funções laborais, em especial quando podem refletir e propor melhoramentos respeito do fazer empresarial, mantenham atitude de debate e questionamento permanente, o que abre portas a olhares diferentes que podem ser ou não compartilhadas e fornece posturas que fortalecem as bases conceptuais da disciplina e a profissão.

Claramente, nesses primeiros papéis, mesmo a ligação entre pesquisa contábil e prática profissional continua a ser muito indireta. Tem que levantar e incluir outras funções que façam mais direto este relacionamento.

Um terceiro papel tem relação com a geração de arcabouços conceptuais que orientem, em alguns casos, a regulamentação a emitir, e em outros, que apoiem diretamente o como fazer aplicações concretas no contexto organizacional. Segundo Stephen Moehrle, Kirsten Anderson, Frances Ayres, Cynthia Bolt-Lee, Roger Debreceny, Mike Dugan, Chris Hogan, Michael Maher e Elizabeth Plummer (2009), trata da pesquisa fornecer soluções inovadoras que puderem ser aplicadas pelos profissionais no exercício profissional.

Múltiplas áreas da atuação profissional podem se beneficiar destes escopos da pesquisa que mesmo pode ser elaborada de maneira conjunta entre docentes e profissionais. A qualidade da apresentação de demonstrações financeiras, a formulação adequada de políticas contábeis para a elaboração de demonstrações financeiras, melhoramentos no controle interno e sua auditoria, o uso de ferramentas tecnológicas para o controle financeiro, os efeitos da normatividade tributária nas empresas, a alocação e estimação de custos mais adequada, sistemas de informação contábil, internet e os relatórios on-line, inteligência artificial e a gestão do conhecimento são alguns dos principais campos de trabalho em que pode se evidenciar de maneira mais direta a ligação entre pesquisa académica e prática profissional, espalhada em revistas académicas.

Uma questão de especial relevância nesse papel é a pesquisa que conduz a suportar iniciativas de regulamentação em temas contábeis. Neste caso, a pesquisa se traduz em orientações práticas que podem ter um alto impacto no exercício profissional e que suscitariam discussões e reflexões em relação às vantagens e limitações da regulamentação requestada. De fato, essa pesquisa surge de interações significativas entre reguladores e academia visando alterar a prática professional contábil com diversos propósitos.

Um papel final da pesquisa contábil —não por isso menos importante— é a sua contribuição de exemplos construídos no mundo organizacional, normalmente provenientes de atividades próprias da consultoria, mas que geram produtos académicos, divulgáveis em revista de pesquisa. Trata-se de aplicações específicas, exemplificadas, em uma linguagem próxima ao mundo prático do exercício profissional justamente por sua origem consultiva.

Resulta pertinente apontar que esta dimensão da pesquisa não é exatamente igual à consultoria. Ë um papel que surge do interesse do consultor de transcender seu labor experta e contratada por um terceiro y que, a partir de um reconhecimento teórico ou conceptual subjacente ao labor adiantado, pode servir para fornecer orientações específicas no mundo laboral.

Um tema adicional e relacionado com condições adicionais para fortalecer a pesquisa em qualquer dos papéis acima, destacado por Tucker e Lowe (2014), é a necessária institucionalida-de que articule e sirva de ponte entre a pesquisa académica (pelo geral, universitária em âmbitos como o colombiano) e o da prática profissional.

Este papel de mediação pode significar, por exemplo, consolidar informação quantitativa dos entes económicos, que seja analisada e examinada teórica e metodologicamente pela academia e cujos resultados sejam expostos novamente às entidades que fornecem informações.

Muita pesquisa académicas é limitada pelo aceso restringido à informação das empresas e outras organizações de interesse. Neste sentido, a institucionalidade poderia facilitar o fazer pesquisa pertinente para o académico e adequada para o mundo professional, que fornece desde os dados ministrados, sua realidade e suas necessidades.

Sem dúvida, esta é uma condição importante para fortalecer a pesquisa contábil na Colômbia que articule as necessidades do mundo profissional. As associações profissionais, os grêmios da produção, as entidades do Estado... podem jogar um papel destacado nesse sentido.

Os papéis expostos acima podem fornecer elementos de discussão importantes em relação a temas como as políticas de pesquisa nas universidades, os grupos de pesquisa contábil, as políticas editoriais das revistas e a visão da institucionalidade contábil e o mundo profissional.

O ponto de partida é o reconhecer que, bem que há interesses diferentes entre um e outro âmbito (a pesquisa académica e o exercício profissional), em muito caso, esses interesses podem convergir e trabalhar sinergicamente. Requere, então, construir desde o reconhecimento da diferença e em benefício da profissão e a disciplina, não tentando impor um papel sobre os outros senão os fazendo harmónicos e sobretudo vivos e vigentes.

Esse é um dos grandes desafios da profissão, a pesquisa, as revistas e a contabilidade na Colômbia.

Gabriel Rueda-Delgado
Editor


Referências

Parker, Lee D; Guthrie, James & Linacre, Simon (2011). The relationship between academic accounting research and professional practice. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 24 (1), 5-14. Disponível in: http://media.accountingeducation.com/1304/Parkeraaaj24(1).pdf

Moehrle, Stephen R.; Anderson, Kirsten L.; Ayres, Frances L.; Bolt-Lee, Cynthia E.; Debreceny, Roger S.; Dugan, Mike T.; Hogan, Chris E.; Maher, Michael & Plummer, Elizabeth (2009). The impact of Academic Accounting Research on professional practice: an analysis by the AAA Research Impact Task Force. Accounting Horizons, 23 (4), 411456.

Tucker, Basil P. & Lowe, Alan D. (2014). Practitioners are from Mars; academics are from Venus? Accounting, Auditing & Accountability Journal, 27 (3), 394-425.

Parker, Lee D.; Guthrie, James & Linacre, Simon (2011). The relationship between academic accounting research and professional practice. Accounting, Auditing & Accountability Journal, 24 (1), 5-14. Disponible en: http://media.accountingeducation.com/1304/Parkeraaaj24(1).pdf        [ Links ]

Moehrle, Stephen R.; Anderson, Kirsten L.; Ayres, Frances L.; Bolt-Lee, Cynthia E.; De-breceny, Roger S.; Dugan, Mike T.; Hogan, Chris E.; Maher, Michael & Plummer, Elizabeth (2009). The impact of Academic Accounting Research on professional practice: an analysis by the AAA Research Impact Task Force. Accounting Horizons, 23 (4), 411-456.         [ Links ]

Tucker, Basil P. & Lowe, Alan D. (2014). Practitioners are from Mars; academics are from Venus? Accounting, Auditing & Accountability Journal, 27 (3), 394-425.         [ Links ]